17/03/2016 arquivo sem legenda ou nomeEncontrar um filme de cinema que possa ser exibido na íntegra, em um treinamento ou reunião com sua equipe de trabalho, não é tarefa das mais fáceis. É muito mais comum achar títulos com um ou outro trecho que pode ser útil, do ponto de vista educativo.
 
Estrada para a Glória (Glory Road, EUA, 2006,Walt Disney Pictures) no entanto, é um filme que tem a virtude de ser ótima sugestão para ser visto inteirinho, em uma autêntica sessão pipoca com sua equipe. Isso mesmo, vale a pena conseguir um horário em um final de tarde para reunir o pessoal, e assistirem juntos a essa bela produção Disney, que além de tudo tem o atrativo de não ser muito conhecida.
 Neste filme, você encontrará cenas que permitem reflexões sobre Espírito de Equipe e Sinergia, Comprometimento, Liderança e Diversidade Humana, entre outros temas. A seguir, comento alguns pontos, que você poderá observar.
 
Rivalidade na equipe
Baseado em fatos reais, o filme conta a trajetória do time de basquete Texas Western, e de seu determinado técnico Don Haskins, que, em 1966, foi o primeiro treinador a convocar jogadores negros para competirem no campeonato universitário norte-americano.
 
Apesar de todo o racismo existente na época, Haskins convida vários rapazes negros, de outras cidades, para compor seu time. Esse ato ousado causa a resistência de muitos, inclusive dos jogadores que já faziam parte da equipe.
 
A rivalidade vem à tona assim que os atletas se conhecem: sua primeira refeição em conjunto termina em uma acirrada disputa, em pleno refeitório da universidade, num jogo improvisado que tem um repolho como bola. Era apenas o início de uma convivência repleta de competição e animosidade, não apenas entre os jogadores brancos e negros, como entre os próprios novatos.
 
Desobedecendo as instruções do técnico, parte do time participa de uma noitada no outro lado da fronteira, no México, regada à música e tequila. Por conta dessa ação indisciplinada, todos os jogadores são punidos com exercícios extras, mesmo os que tinham ficado no alojamento. Ou seja: a falta de comprometimento de alguns prejudicou a todos, da equipe. Coisa que só acontece em filme, não é mesmo...?
 
No entanto, aos poucos, os atletas passam a adotar uma postura mais humilde, e a primeira vitória dos Miners, como eram chamados, ajuda a melhorar o clima.


arquivo sem legenda ou nomeLiderança
No decorrer do filme, vemos Don Haskins demonstrar diversas vezes a liderança que exercia sobre sua equipe. Durante um jogo, o time passava por maus momentos, com riscos de perder a partida. Bobby Joe, um dos novos jogadores, sugere ao técnico que os deixassem jogar com seu estilo próprio, e não do modo defensivo exaustivamente praticado nos treinos. Num exercício de flexibilidade, Haskins acata a sugestão do rapaz. E vencem.
 
É o líder que tem a humildade de reconhecer quando sua estratégia não está mais adequada, e abrir mão dela. Que escuta as sugestões de sua equipe, e confia no potencial de seus membros, permitindo-lhes usar seus talentos.
 
Além de cuidar do time como um todo, o treinador utilizava-se de abordagens diferentes para com cada jogador, individualmente, quando a situação assim exigia. Dessa forma, para ajudar Shed, um atleta com pouca autoconfiança, Haskins é firme e enérgico, mexendo com o orgulho do rapaz.
Já no caso de Harry, que não estava levando os estudos muito a sério, faz uma aliança estratégica com a mãe do jogador, que passa a acompanhar o filho muito, muito de perto, como você poderá ver em uma divertida cena.
 

arquivo sem legenda ou nomeComprometimento 
Outro trecho bastante interessante é a verdadeira lição sobre comprometimento que o técnico dá a Bobby Joe, que tinha potencial para ser o líder do time, mas emprega suas energias em outras coisas. Nas arquibancadas do ginásio, fala-lhe de sua paixão pelo basquete e de sua própria história: “Nunca fui o melhor, mas eu dei tudo de mim e superei jogadores melhores. Não sou o técnico mais esperto, mas me esforço e supero técnicos mais espertos.” Diz que ficava irritado por ver Bobby Joe desperdiçar o talento natural que tinha; e conclui pedindo-lhe que tivesse mais respeito pelos outros e por ele mesmo. 
São cenas que podem ilustrar a necessidade de buscarmos o comprometimento em nossas equipes; afinal, talento, por si só, não leva a resultados duradouros. É preciso treinamento, aplicação, estudo e dedicação, para aprimorá-lo.
 

arquivo sem legenda ou nomeEspírito de Equipe e Diversidade Humana
Bobby Joe segue o conselho do líder, e o time passa a ficar bastante unido, não só pelas consecutivas vitórias, mas pela amizade que se fortalece, quando os jogadores frequentam as mesmas festas, e convivem harmoniosamente com as diferenças. O bom clima fora das quadras ajuda o desempenho dentro delas.

Estrada para a Glória não é apenas um filme sobre basquete. É a história de um time que, considerado a grande zebra do campeonato, consegue chegar à final. Um relato do que o trabalho em equipe, uma liderança apaixonada, respeito pelas diferenças, confiança em si próprio e nos colegas podem fazer.
 
Então, confira a sugestão. Prepare a pipoca, junte o pessoal. Estou certo que sua equipe se sentirá inspirada.                                                                                           

 arquivo sem legenda ou nome
                                                                                                   



DOUGLAS PETERNELA é educador corporativo e palestrante,
fundador da Flamma Treinamentos Criativos.
douglas@flammatreinamentos.com.br     



                                                                                    Reprodução permitida, desde que citada a fonte.
 
Compartilhe: